Portal Correio do Agreste - A serviço do povo!

Hillary Clinton defende que Facebook seja punido por minar a democracia

A ex-secretária de Estado dos Estados Unidos Hillary Clinton disse que o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg,
Hillary Clinton defende que Facebook seja punido por minar a democracia
(Foto: Reuters)

OUVIR NOTÍCIA

A ex-secretária de Estado dos Estados Unidos Hillary Clinton disse que o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, deve "pagar um preço por ter causado danos à democracia" com a disseminação de notícias falsas que interferirem em resultados eleitorais em diversos países. No Brasil, a divulgação de notícias falsas pelo WhatsApp, que pertence ao Facebook, foi fundamental na eleição de Jair Bolsonaro

A ex-secretária de Estado dos Estados Unidos Hillary Clinton disse que o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, deve "pagar um preço por ter causado danos à democracia" com a disseminação de notícias falsas (fake news) que intertferirem em resultados eleitorais em diversos países. No Brasil, a divulgação de notícias falsas pelo WhatsApp, que pertence ao Facebook, foi fundamental na eleição de Jair Bolsonaro.  As afirmações de Hillary foram publicados no jornal britânico The Guardian

“Quando o Facebook é a principal fonte de notícias para mais da metade do povo americano, e a única fonte de notícias à qual a maioria presta atenção, e se anuncia que não tem responsabilidade pela veiculação de anúncios falsos ... como estão você deveria obter informações precisas sobre qualquer coisa, sem falar nos candidatos que concorrem ao cargo?", questiona ela, que falou em Nova York durante uma exibição de The Great Hack, um documentário da Netflix sobre o escândalo da Cambridge Analytica. 

A consultoria política usou perfis coletados ilegalmente no Facebook para atingir os eleitores nas eleições nos EUA. Em abril, a rede social disse que cerca de a 87 milhões de usuários iveram dados explorados pela Cambridge, principalmente, a serviço de Donald Trump.

De acordo com Hillary, houve nos EUA "uma guerra contra a verdade", na qual a "manipulação de informações" promoveu os interesses de um conjunto de "pessoas incrivelmente ricas que acreditam que podem fazer o que quiserem".

No Brasil, a divulgação de informações falsas foi fundamental na eleição de Jair Bolsonaro. No pleito do ano passado houve uma campanha ilegal contra o então presidenciável Fernando Haddad (PT) com base na divulgação de fake-news (notícias falsas) no WhatsApp, que pertence ao Facebook. O objetivo era prejudicar o x-prefeito e favorecer Bolsonaro. Conforme denunciou uma reportagem do jornal Folha de S. Paulo, cada contrato chega a R$ 12 milhões.

Fonte

247

Comentários

Quer mais artigos e as newsletters editoriais no seu e-mail?

Receba as notícias do dia e os alertas de última hora.
[CARREGANDO...]

Confira mais Notícias

Esportes
Thiago Silva critica atitude de Messi com Tite: ‘educação deve vir primeiro’
Thiago Silva critica atitude de Messi com Tite: ‘educação deve vir primeiro’
VISUALIZAR
Mundo
Número de mortos chega a oito em protestos pró-Morales na Bolívia
Número de mortos chega a oito em protestos pró-Morales na Bolívia
VISUALIZAR
Rio Grande do Norte
Fátima Bezerra viaja com o Consórcio do Nordeste e Antenor Roberto assume o Governo do RN
Fátima Bezerra viaja com o Consórcio do Nordeste e Antenor Roberto assume o Governo do RN
VISUALIZAR
Rio Grande do Norte
Governo sanciona lei que reajusta em 23% salários de PMs e bombeiros do RN
Governo sanciona lei que reajusta em 23% salários de PMs e bombeiros do RN
VISUALIZAR
GRANDE NATAL
Homem morre após trocar tiros durante discussão em bar na Grande Natal
Homem morre após trocar tiros durante discussão em bar na Grande Natal
VISUALIZAR
MOSSORÓ RN
Motorista mata pedestre atropelado e foge em Mossoró
Motorista mata pedestre atropelado e foge em Mossoró
VISUALIZAR
Fale com a redação!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )