Portal Correio do Agreste - A serviço do povo!

Sexta-feira, 24 de Maio de 2024
REDEC
REDEC

Geral

Adam Smith e Solidariedade

Reflexão de Boa Vontade

Momento de Reflexão com Paiva Netto
Por Momento de Reflexão com...
Adam Smith e Solidariedade
Vivian R. Ferreira
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

Adam Smith (1723-1790), economista e filósofo escocês, o chamado pai da economia moderna, escreveu em Teoria dos Sentimentos Morais:

 “Por mais egoísta que se suponha o homem, evidentemente há alguns princípios em sua natureza que o fazem interessar-se pela sorte de outros, e considerar a felicidade deles necessária para si mesmo, embora nada extraia disso senão o prazer de assisti-la. (...)

“Por intermédio da imaginação podemos nos colocar no lugar de nosso irmão, concebemo-nos sofrendo os mesmos tormentos, é como se entrássemos no corpo dele e de certa forma nos tornássemos a mesma pessoa, formando, assim, alguma ideia das suas sensações, e até sentindo algo que, embora em menor grau, não é inteiramente diferente delas. Assim incorporadas em nós mesmos, adotadas e tornadas nossas, suas agonias começam finalmente a nos afetar, e então trememos, e sentimos calafrios, apenas à imagem do que ele está sentindo”.

Publicidade

Leia Também:

E é justamente quando, sentindo a dor de nossos Irmãos em humanidade, passamos a perceber o imenso valor que possui a Solidariedade, a Compaixão, a Fraternidade, a Generosidade. Por isso, ao me referir à Solidariedade Espiritual e Humana, quero reforçar que se trata de uma Estratégia Divina, pedagógica, a nos ensinar a viver fraternalmente irmanados. A outra face disso é a perspectiva sinistra da guerra de todos os tipos, que é vigorosamente rejeitada pelo Cidadão do Espírito.

A respeito da nobre atitude de concórdia a ser exercitada entre os habitantes do orbe, nos fala o radialista e poeta Alziro Zarur (1914-1979) nestas estrofes de seu incomparável:

 Poema da Amizade

Eu tenho, neste espírito de velho

Que não compreende a vida em solidão,

Meu particularíssimo Evangelho:

Amizade é a minha religião.

Nem só de feras se compõe o mundo,

Como proclamam todos os egoístas:

Basta verificar o amor profundo

Que transborda nas almas dos altruístas.

Mas é preciso que haja em todos nós

Um pouco de renúncia e de modéstia,

Uma nesga, uma fímbria ou fraca réstia

De solidariedade em nossa voz.

Cultivemos, senhores, a amizade

Em suas santas manifestações,

Sentindo as agonias e aflições

Das camadas servis da sociedade!

Por isso eu tenho – espírito de velho

Que não compreende a vida em solidão –

Meu particularíssimo Evangelho:

Amizade é a minha religião.

Ao encontro dessa verdadeira ode à amizade, apresento, por oportuna, a substanciosa conclusão do monsenhor Gaspar Sadoc (1916-2016), da Igreja Nossa Senhora da Vitória, em Salvador/BA: “Quando os amigos estão reunidos, até os ponteiros do relógio param, a gente não sente o tempo passar. A amizade é uma bênção de Deus”.

Dedico-lhes sempre este mantra sagrado da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo: Quem confia em Jesus não perde o seu tempo, porque Ele é o Grande Amigo que não abandona amigo no meio do caminho.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor.

[email protected]www.boavontade.com

 

Comentários:
Momento de Reflexão com Paiva Netto

Publicado por:

Momento de Reflexão com Paiva Netto

Lorem Ipsum is simply dummy text of the printing and typesetting industry. Lorem Ipsum has been the industry's standard dummy text ever since the 1500s, when an unknown printer took a galley of type and scrambled it to make a type specimen book.

Saiba Mais
REDECON
REDECON
JATOBÁ
JATOBÁ

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )