Portal Correio do Agreste - A serviço do povo!

Procurador da Lava Jato admite: Bolsonaro teve apoio da operação

O procurador Carlos Fernando, um dos principais e mais agressivos líderes da Lava Jato, agora aposentado
Procurador da Lava Jato admite: Bolsonaro teve apoio da operação
(Foto: Reuters | Alan Santos/PR)

OUVIR NOTÍCIA

O procurador Carlos Fernando, um dos principais e mais agressivos líderes da Lava Jato, agora aposentado, admitiu que Jair Bolsonaro era o candidato preferido da operação e que o PT era visto como inimigo por Moro e os procuradores. "É evidente que, dentro da Lava Jato, dentro desses órgãos públicos, de centenas de pessoas, existem lava-jatistas que são a favor do Bolsonaro", afirmou. "Naturalmente, na Lava Jato, muitos entenderam que o mal menor era Bolsonaro"

O procurador Carlos Fernando, um dos principais e mais agressivos líderes da Lava Jato, agora aposentado admitiu que Jair Bolsonaro era o candidato preferido da operação. A revelação é mais uma prova de que a Lava Jato foi uma operção político-judicial com o objetivo de perseguir o PT e inviabilizar a candidatura de Lula e uma nova vitória do partido em eleições presidenciais. 

"Infelizmente, no Brasil, nós vivemos um maniqueísmo, né? Então nós chegamos… Inclusive, no sistema de dois turnos, faz com que as coisas aconteçam dessa forma. É evidente que, dentro da Lava Jato, dentro desses órgãos públicos, de centenas de pessoas, existem lava-jatistas que são a favor do Bolsonaro. Muito difícil seria ser a favor de um candidato que vinha de um partido que tinha o objetivo claro de destruir a Lava Jato. Seria muito difícil acreditar que…", afirmou ele ao programa GloboNews Painel. O relato foi publicado na coluna de Reinaldo Azevedo. 

"Naturalmente, na Lava Jato, muitos entenderam que o mal menor era Bolsonaro. Eu creio que essa era uma decisão até óbvia, pelas circunstâncias que Fernando Haddad representava justamente tudo aquilo que nós estávamos tentando evitar, que era o fim da operação. Agora, infelizmente, o Bolsonaro está conseguindo fazer", acrescentou o procurador, que participou de um debate como advogado Walfrido Warde e conduzido pela jornalista Renata Lo Prete.

A uma semana do primeiro turno, Sérgio Moro, então juiz da Lava Jato e atual ministro da Justiça, liberou a delação premiada de Antonio Palocci para prejudicar o PT, que tinha como candidato Fernando Haddad.

Moro recebeu o convite da equipe de Bolsonaro para ser ministro ainda durante a campanha eleitoral. 

Fonte

247

Comentários

Quer mais artigos e as newsletters editoriais no seu e-mail?

Receba as notícias do dia e os alertas de última hora.
[CARREGANDO...]

Confira mais Notícias

BRASIL
Elite começa a rifar Bolsonaro sem abandonar Paulo Guedes
Elite começa a rifar Bolsonaro sem abandonar Paulo Guedes
VISUALIZAR
Esportes
Nos Aflitos, Náutico e ABC empatam e estacionam na tabela do Nordestão
Nos Aflitos, Náutico e ABC empatam e estacionam na tabela do Nordestão
VISUALIZAR
NATAL RN
Operação da PM contra tráfico de drogas prende dois suspeitos na Zona Leste de Natal
Operação da PM contra tráfico de drogas prende dois suspeitos na Zona Leste de Natal
VISUALIZAR
Rio Grande do Norte
Quadrilha explode banco, troca tiros com a PM e causa pânico no interior do RN
Quadrilha explode banco, troca tiros com a PM e causa pânico no interior do RN
VISUALIZAR
Policial
Governo do RN entrega novas viaturas e equipamentos para a PM
Governo do RN entrega novas viaturas e equipamentos para a PM
VISUALIZAR
Policial
Vídeo mostra destruição em banco, ataque a delegacia e carro incendiado no Oeste potiguar;...
Vídeo mostra destruição em banco, ataque a delegacia e carro incendiado no Oeste potiguar; VEJA
VISUALIZAR
Fale com a redação!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )