Portal Correio do Agreste - A serviço do povo!

MPF dá 72h para ministro explicar mudança que omite dados sobre mortes por Covid

Conselho de Secretários de Saúde repudia afirmação que dados sobre mortos são fantasiosos
MPF dá 72h para ministro explicar mudança que omite dados sobre mortes por Covid
A divulgação às 22h começou nos últimos dias sem que o Ministério da Saúde desse uma justificativa para o atraso

OUVIR NOTÍCIA

ACâmara de Direitos Sociais e Fiscalização de Atos Administrativos em Geral do Ministério Público Federal (MPF) instaurou neste sábado (6) um procedimento extrajudicial para apurar os motivos que levaram o Ministério da Saúde a mudar o formato de divulgação e excluir do Painel de Informações da Covid-19 o número acumulado de mortes e de casos confirmados da doença.

 

Para fundamentar o pedido, o órgão cita a Constituição que assegura 'a todos o acesso à informação' e a Lei de Acesso à Informação, que prevê a transparência do poder público. A nova forma de divulgar o boletim de casos de coronavírus foi alvo de críticas de autoridades e especialistas.

Neste sábado (6) foram 904 novas mortes nas últimas 24 horas e 27.075 novos casos confirmados da doença. O governo não totalizou os dados, mas somados ao último balanço oficial do Ministério da Saúde na quinta-feira (4), o número de mortos no país chegou a 35.930 e o de infecções, 672.846.

O despacho determina o envio de ofício ao ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, para que ele forneça, no prazo de 72 horas, informações detalhadas sobre o assunto. A decisão de abrir o procedimento, foi tomada pela subprocuradora-geral da República Célia Regina Delgado, e pelo coordenador do Grupo de Trabalho Saúde da pasta, procurador da República Edilson Vitorelli.

Entre as informações e documentos que serão solicitados ao governo estão a cópia do ato administrativo que determinou a retirada do número acumulado de mortes do painel bem como do todo o procedimento administrativo que resultou na adoção desse ato.

O ministro também deverá esclarecer se houve e – em caso positivo –, quais foram outras modificações e supressões de dados públicos relativos à pandemia, especificando os fundamentos técnicos que embasaram essa decisão.

A Câmara do MPF também pediu esclarecimentos sobre a urgência que determinou a alteração e eventuais outras modificações que tenham implicado restrição à publicidade de dados.

“Na hipótese de ser verdadeira a informação de que há pretensão do governo federal de rever quaisquer dados já divulgados, atinentes à pandemia, informar qual é a razão pela qual essa eventual correção não poderia ser efetuada, independentemente da supressão prévia de informações”, detalha um dos trechos do documento. Nesse caso, conforme o despacho, a resposta do ministro deve incluir a cópia dos documentos que fundamentam, do ponto de vista técnico, a necessidade de tal revisão.

Mudança e dados ausentes

No novo formato de balanço adotado desde sexta-feira, o ministério mudou a forma de divulgação dos indicadores, deixando de apresentar alguns dados consolidados.

Também neste sábado, o presidente Jair Bolsonaro confirmou que o governo passou a adotar uma nova sistemática para prestar informações sobre o coronavírus.

"As rotinas e fluxos estão sendo adequados para garantir a melhor extração dos dados diários, o que implica em aguardar os relatórios estaduais e checagem de dados. Para evitar subnotificação e inconsistências, o Ministério da Saúde optou pela divulgação às 22h, o que permite passar por esse processo completo. A divulgação entre 17h e 19h, ainda havia risco subnotificação. Os fluxos estão sendo padronizados e adequados para a melhor precisão”, informou o presidente.

Uma das mudanças é que o boletim diário do ministério, divulgado nesta sexta, trazia apenas o número de recuperados, novos casos e mortes registrados nas últimas 24h. Antes, o quadro apresentava também os números totais, registrados desde o início da pandemia.

Outra alteração é que o boletim passou a ser divulgado pelo ministério por volta das 22h. Inicialmente, essa divulgação ocorria às 17h – depois, passou para 19h.

A divulgação às 22h começou nos últimos dias sem que o Ministério da Saúde desse uma justificativa para o atraso.

Além disso, o portal do governo federal que traz os números da pandemia no Brasil saiu do ar na noite desta sexta. Ao ser acessada, a página apresentava apenas a mensagem "Portal em Manutenção." Ela voltou por volta das 17h deste sábado.

No entanto, o portal retornou reformulado e com dados ínfimos, se comparado à versão anterior. Não há, por exemplo, informações detalhadas sobre cada estado – nem o total acumulado de contágios e de mortes. Ou seja, ficou igual ao boletim que o ministério passou a divulgar.

O novo boletim enviado:

  • Não informa os números totais de mortes e casos, seja nacional ou por estados
  • Não informa o número de mortes em investigação
  • Não informa o número de mortes ocorridas nos últimos 3 dias
  • Não informa o total de pacientes recuperados ou em acompanhamento
  • Não apresenta sinal de tendência para o número de mortes ou de casos

Fonte

agora rn

Comentários

Quer mais artigos e as newsletters editoriais no seu e-mail?

Receba as notícias do dia e os alertas de última hora.
[CARREGANDO...]

Confira mais Notícias

BRASIL
Brasil demite menos, mas EUA têm recuperação mais rápida dos empregos
Brasil demite menos, mas EUA têm recuperação mais rápida dos empregos
VISUALIZAR
BRASIL
Brasil deve perder 2,8 milhões de empregos em 2020, diz economista da CNC
Brasil deve perder 2,8 milhões de empregos em 2020, diz economista da CNC
VISUALIZAR
Economia
Banco do Nordeste destina R$ 8,3 bilhões para o Plano Safra 2020-2021
Banco do Nordeste destina R$ 8,3 bilhões para o Plano Safra 2020-2021
VISUALIZAR
Pandemia
Cientistas dizem que reabrir comércio no Rio Grande do Norte foi “equívoco”
Cientistas dizem que reabrir comércio no Rio Grande do Norte foi “equívoco”
VISUALIZAR
BRASIL
Dados indicam crescimento do neonazismo no Brasil
Dados indicam crescimento do neonazismo no Brasil
VISUALIZAR
BRASIL
Anvisa autoriza fase 3 de testes de vacina chinesa contra novo coronavírus
Anvisa autoriza fase 3 de testes de vacina chinesa contra novo coronavírus
VISUALIZAR
Fale com a redação!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )